SEBERG: a vingança de Kristen Stewart contra o FBI

Kristen Stewart interpreta Jean Seberg

3/5 estrelas

A HISTÓRIA: Jean Seberg (Kristen Stewart) é uma estrela do cinema francês dos anos 1960, cujo envolvimento com grupos de defesa de direitos humanos leva o FBI a lançar uma campanha de perseguição que a conduz para lá dos seus limites. Continuar a ler

Podcasts há muitos: 8 sugestões para ouvir em 2020

Photo by Mohammad Metri on Unsplash

Como diz o outro, podcasts há muitos.

A moda pegou em força, embora esta forma de áudio difundido em meios digitais não seja propriamente nova. O que é novo é o interesse em torno dos podcasts, as ferramentas que agora temos para criar conteúdos diferentes e as ideias que surgem a partir daí. Continuar a ler

30 antes dos 30: A Fish Called Wanda

Jamie Lee Curtis, John Cleese e Kevin Kline em A Fish Called Wanda (1988)

“You see, Wanda, we’re all terrified of embarrassment. That’s why we’re so… dead.”

Foram precisos alguns anos até que, da cabeça de John Cleese, saísse a ideia para este filme em forma de guião. A Fish Called Wanda chegou em 1988, realizado por Charles Crichton. A história, essa, repete a fórmula vencedora que os Monty Python exploraram até à exaustão – e que funciona sempre. Continuar a ler

30 antes dos 30: Forrest Gump

Tom Hanks em Forrest Gump (1994)

“Hello, my name is Forrest. Forrest Gump.”

Sentado no banco de uma paragem de autocarros em Savannah, Georgia, Forrest Gump (Tom Hanks) conta aos estranhos que por ali passam a sua vida – desde pequeno, quando a mãe o ensinou a rejeitar ser tratado como inferior por ter um QI abaixo da média, até àquele momento em que se prepara para reencontrar a sua amiga de infância e amor de sempre, Jenny (Robin Wright). A realização de Forrest Gump (1994) é de Robert Zemeckis, o guião de Eric Roth e a história emociona e arranca sorrisos, de forma inesperada. Como numa caixa de chocolates, nunca sabemos o que nos vai calhar. Continuar a ler

30 antes dos 30: 12 Angry Men

12 Angry Men, de Sidney Lumet

Doze homens fechados numa sala, no dia mais quente do ano, debatem a inocência de um rapaz acusado de matar o pai. Têm em mãos a capacidade de ditar a pena de morte ou a saída em liberdade. Se o rapaz cometeu ou não o crime… Isso não interessa. Na história de 12 Angry Men (1957), realizada por Sidney Lumet, o que importa é a dúvida. “I’m simply asking questions.” Continuar a ler