O regresso do dissidente

Ai Weiwei no seu estúdio, em Pequim © Harry Pearce/Pentagram April 2015

Ai Weiwei no seu estúdio, em Pequim © Harry Pearce/Pentagram April 2015

Em 2011, Ai Weiwei passou 81 dias detido na China. Activista e crítico do governo do seu país, viu a libertação chegar com um preço elevado: o seu passaporte foi confiscado e não pôde viajar para outros países. Até agora. Ai Weiwei é a exposição que a Royal Academy of Arts apresenta em Londres e o motivo para que o artista tenha conseguido reaver a sua liberdade. Os olhos do mundo estão postos em Weiwei e na exposição homónima que é um evento único no mundo das artes e um marco político do nosso tempo.

Para ler na Viagens & Resorts de Setembro/Outubro (em breve nas bancas).

Advertisements