O outro lado da governação

11403031_10205316588248295_6160613374476004998_n

Recuperada pelo actual governo, a reforma da administração local foi polémica. Foi disruptiva. Foi corajosa. A reforma da administração local foi para a frente. Miguel Relvas, então ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, e Paulo Júlio, o seu secretário de Estado da Administração Local e da Reforma Administrativa, contam como tudo aconteceu num relato que atravessa a história de Portugal e alguns dos tempos mais difíceis em que o Executivo de Passos Coelho teve de negociar a reestruturação da administração local com os técnicos da Troika.

Aqui encontram-se relatos pessoais, memórias das manifestações contra a reforma, as relações com o Partido Socialista e mesmo as dinâmicas dentro da coligação do PSD com o CDS-PP, os diálogos com a Associação Nacional dos Municípios Portugueses e com a ANAFRE.

O livro “O outro lado da governação” tem prefácio de José Maria Aznar e testemunhos de figuras como Marcelo Rebelo de Sousa, Luís Marques Mendes, Fernando Ruas, Pedro Santana Lopes.

Eu faço parte da coordenação editorial.

Advertisements

A década perdida de Portugal

© David Ferreira

O Wall Street Journal fez ontem uma análise ao comportamento de Portugal nos últimos anos, a propósito de um novo relatório da Heritage Foundation. Chamou-lhe “Portugal’s Lost Decade“. Título pertinente para um texto que, sem nos trazer (a nós, portugueses) grandes novidades, mostra como os nossos problemas estruturais são percebidos (e bem) lá fora.

O passado: 

«Even before the global financial crisis took hold in 2008, Portugal had endured a miserable economic period. Far from catching up with the wealthier parts of Europe, it was falling further behind.» 

O presente:

«At some point, Portugal was going to have to grapple with its too-high wages and too-low productivity. But by waiting until the global recession forced the hard decisions, Portugal’s leaders hurt their chances for a successful adjustment.» 
O futuro?

«Growth returned to Portugal in 2013, but the country’s low productivity and budget woes are still unresolved. Most recently, the country’s highest court blocked an attempt to lower public-sector pay–exactly the type of reform that is necessary for Portugal to escape its decade-long slump.»