30 antes dos 30: Death in Venice

Death in Venice, de Luchino Visconti

Um adaptação distante do original, um filme sem história, uma narrativa superficial. Ainda que algumas críticas desconsiderem Death in Venice (1971), este que foi um dos últimos filmes de Luchino Visconti presta-se a leituras mais vastas. Como a beleza, que é tema central deste filme, e que Visconti situa no mundo dos sentidos. Continue reading

30 antes dos 30: The Godfather

Marlon Brando em The Godfather (1972)

É apontado, com Citizen Kane (1941), como um dos melhores filmes de sempre. Mas a verdade é que um processo criativo tumultuoso não fazia adivinhar o sucesso que alcançou. O que determinou, então, que The Godfather tenha merecido a admiração de várias gerações? Continue reading

30 antes dos 30: Citizen Kane

Orson Welles em Citizen Kane (1941)

Quando Martin Scorsese diz que Orson Welles abriu a caixa de Pandora do cinema, fá-lo com uma manifesta admiração no olhar. Essa reverência é partilhada entre os seus pares. É que, em 1941, Citizen Kane inaugurou uma nova era e fê-lo de forma tão perfeita quanto definitiva. Em causa estavam a forma e o conteúdo daquele filme, embrulhados no olhar revolucionário de um jovem génio e entregue aos espectadores através daquela que se tornou a sua obra-prima. Continue reading