Todas as coisas maravilhosas

Amsterdam, 2014

“Número um: gelados.”

Uma criança começa a fazer uma lista de motivos para convencer a mãe a agarrar-se à vida. Coisas pelas quais vale a pena estar cá. “Número um: gelados.”

A lista acaba por acompanhar a vida daquela criança, passa pela sua adolescência, atravessa-lhe a vida adulta, a constituição da família, o desamor.

Julgo lembrar-me o suficiente da história criada por Duncan McMillan e representada em Portugal pelo Ivo Canelas. Como o “Blister in the Sun” a tocar bem alto numa acústica boa, esta peça foi um shot energético. Uma coisa maravilhosa.

Agora, não acho que vamos todos ficar bem. Há muitos que este vírus subtraiu  antes do tempo. Não é justo pensar que vamos todos ficar bem.

Mas devemo-lo a nós mesmos: ver as coisas maravilhosas.

“Gelados”, na voz pequena do miúdo que o Ivo Canelas escolheu no meio do público.

“O cabelo do Christopher Walken.”

“Marlon Brando.”

No meu isolamento, estas são todas as minhas coisas maravilhosas.

1. O cheiro a pão quente de que fala a Capicua.
2. Os ataques de riso a fazer pranchas durante os treinos online.
3. Reler todos os volumes de Harry Potter.
4. Ver musicais da Broadway no YouTube.
5. As listas automáticas do Spotify.
6. Fazer cursos online.

Babel: Centelha de esperança de Iñárritu transcende fronteiras

Brad Pitt em Babel (2006)

4/5 estrelas

A HISTÓRIA: Uma espingarda é disparada na direção de uma turista americana, por um rapaz marroquino. Babel relata a cadeia de acontecimentos que uniram a espingarda, o rapaz e a turista, a uma escala global que percorre quatro países e que se fala em cinco linguagens. Continuar a ler

Onward: Pixar junta dois irmãos e um par de calças, porque nem todas as famílias são iguais

Barley e Ian são os protagonistas da nova animação da Pixar

4/5 estrelas

A HISTÓRIA: Dois irmãos elfos fazem um feitiço para trazer o pai de volta à vida, mas só recuperam as pernas e a cintura. Ian e Barley partem numa demanda pela pedra que permite repetir o feitiço, num mundo que se esquece de que a magia existe. Continuar a ler